Publicações

Escolha uma das opções abaixo:

  • O impacto da impressão 3D no Instituto da Propriedade Intelectual
    Autor(es):
    Bruna Castanheira Freitas, Nivaldo Santos

    A impressão 3D permite imprimir tridimensionalmente objetos primeiramente concebidos por arquivos virtuais. Essa tecnologia possibilita inúmeras transformações na manufatura e economia, porém encontra conflitos na Propriedade Intelectual – da maneira em que ela é concebida atualmente no Brasil. No presente artigo, examina-se quais conflitos seriam esses ao mesmo tempo em que contextualiza o leitor a respeito das oportunidades que a impressão 3D pode trazer para a sociedade.

    [Leia mais]

    A impressão 3D permite imprimir tridimensionalmente objetos primeiramente concebidos por arquivos virtuais. Essa tecnologia possibilita inúmeras transformações na manufatura e economia, porém encontra conflitos na Propriedade Intelectual – da maneira em que ela é concebida atualmente no Brasil. No presente artigo, examina-se quais conflitos seriam esses ao mesmo tempo em que contextualiza o leitor a respeito das oportunidades que a impressão 3D pode trazer para a sociedade.  

  • As possibilidades de sustentabilidade trazidas pela impressora 3D
    Autor(es):
    Bruna Castanheira Freitas

    A impressora 3D permite ao homem feitos que antes eram possíveis apenas na ficção-científica. Através dessa tecnologia, tornou-se possível imprimir, a partir de arquivos no computador, desde objetos simples de uso cotidiano até partes de aviões do exército, foguetes, carros e órgãos humanos. Já utilizada na indústria desde a década de 70, a impressora 3D atinge o mercado popular por ganhar um perfil acessível e fácil de ser utilizado.

    [Leia mais]

    A impressora 3D permite ao homem feitos que antes eram possíveis apenas na ficção-científica. Através dessa tecnologia, tornou-se possível imprimir, a partir de arquivos no computador, desde objetos simples de uso cotidiano até partes de aviões do exército, foguetes, carros e órgãos humanos. Já utilizada na indústria desde a década de 70, a impressora 3D atinge o mercado popular por ganhar um perfil acessível e fácil de ser utilizado. Previsões indicam que dentro de poucos anos um volume considerável de pessoas a terão em casa, da mesma forma que possuem a impressora de papel. Torna-se cabível, portanto, questionar quais seriam as consequências do uso generalizado desta tecnologia. Este artigo se focará nas consequências ambientais e, principalmente, na possibilidade de uso sustentável da impressora 3D, no que se diz de sua matéria-prima, fonte de energia, meios de transporte, entre outros.

    Fonte da imagem

  • A acessibilidade e o direito de navegar na Web
    Autor(es):
    Bruna Castanheira Freitas

    O artigo aborda o que é a acessibilidade na web, para o que e a quem serve, além de investigar o quanto os padrões de acessibilidade vêm sendo aplicados hoje, sob a égide de quais leis nacionais e internacionais. Ainda, analisa o papel prestado pelo Marco Civil da Internet nesta frente, e as formas como a acessibilidade na web pode ser cobrada socialmente e juridicamente. 

    [Leia mais]

    O artigo aborda o que é a acessibilidade na web, para o que e a quem serve, além de investigar o quanto os padrões de acessibilidade vêm sendo aplicados hoje, sob a égide de quais leis nacionais e internacionais. Ainda, analisa o papel prestado pelo Marco Civil da Internet nesta frente, e as formas como a acessibilidade na web pode ser cobrada socialmente e juridicamente. 

  • Os conflitos na gestão coletiva de Direitos Autorais no Brasil: a construção social de um sistema a partir de categorias jurídicas.
    Autor(es):
    Pedro Augusto Pereira Francisco, Mariana Giorgetti Valente

    Este trabalho, a partir de uma análise da história do sistema de gestão coletiva de direitos autorais no Brasil, demonstra como os conflitos entre os agentes atuantes sempre estiveram presentes e foram determinantes para o surgimento da sua atual configuração.

    [Leia mais]

    Este trabalho, a partir de uma análise da história do sistema de gestão coletiva de direitos autorais no Brasil, demonstra como os conflitos entre os agentes atuantes sempre estiveram presentes e foram determinantes para o surgimento da sua atual configuração. Além disso, mostra que esses conflitos evidenciam percepções distintas sobre o funcionamento do sistema, nas quais categorias como “corrupção”, “direito público” e “direito privado” são operacionalizadas de modo estratégico pelos mesmos agentes. A utilização dessas categorias acaba tendo um papel na construção discursiva do sistema como um todo.

    Fonte da imagem.

Páginas